O que fazer quando encontrar um gato abandonado?

Diariamente recebemos pedidos de ajuda de pessoas que encontram um ou mais gatinhos abandonados/perdidos, filhotes e adultos. Infelizmente não podemos ajudar todos os casos, e muitas pessoas não possuem conhecimento do que fazer nesse momento, então sempre tentamos instruir para que o resgate aconteça da melhor maneira possível. Aqui vão algumas dicas importantes para o resgate e cuidado desses ronrons:

 

Recém-nascidos

 

Esse é um dos casos mais complicados, pois os gatinhos recém-nascidos precisam ser amamentados para sobreviver. Há um produto chamado PetMilk, que pode ser comprado em petshops e é um alimento completo substitutivo do leite, enriquecido com as vitaminas, minerais e aminoácidos necessários para o desenvolvimento do filhote.

 

Outra opção seria encontrar uma gata que esteja amamentando para que ela acolha estes filhotes, porém, não recomendamos esta sugestão porque a mãe ou os filhotes podem ser positivos para FiV/FeLV, e a doença ser transmitida via amamentação. Bebês gatinhos muito pequenos podem não ter diagnóstico e é um risco para a gata, ou vice-versa, caso ela nunca tenha sido testada. 

 

Por isso, sugerimos como melhor solução o leite em pó.

Veja dicas de como usar o PetMilk no vídeo a seguir:

 

 

Gatos Ariscos/Ferais

 

No caso dos gatos ariscos (aqueles que não deixam chegar perto), o resgate pode ser feito com a ajuda de uma gatoeira (uma armadilha para gatos). Tenha calma para capturar o gatinho, pois as vezes pode ser difícil. Use comida como atrativo. Tente transportar a gatoeira coberta com uma toalha, para o ronrom não ver todo o caminho. Isso o ajudará a ficar mais calmo.

 

Leve diretamente ao veterinário, que saberá como lidar com cada caso. Os gatos ariscos exigem um pouco mais de paciência para sua socialização, mas nada que seja impossível. Com o tempo eles vão se sentindo seguros, e aprendem a confiar na gente.

 

Gatas grávidas

 

Ao verificar que a gata resgatada está prenha, você terá duas opções: se a gestação estiver no início, você pode recorrer à castração (a chamada “castração abortiva”), caso considere o ideal; caso opte por ter os gatinhos, é necessário encontrar um ambiente onde a gatinha possa ficar segura e ter os seus bebês, e a acompanhe durante todo o período em que estiver amamentando, cuidando para ela se manter saudável e bem alimentada.

 

Os gatinhos podem ser doados só após desmamarem (o tempo depende muito de cada gatinho). Depois desse período recomendamos castrar a gata mãe, para que ela não volte a engravidar.

 

Gatos Machucados

 

No caso dos gatinhos que estiverem visivelmente machucados, o correto é levar diretamente para atendimento veterinário – se possível antes mesmo de levá-lo para sua casa. Por mais estável que pareça o quadro, pequenas feridas podem guardar problemas bem maiores. Apenas um médico veterinário consegue saber, examinando, qual o estado de saúde do gatinho e se ele precisa de tratamento ou apenas um medicamento – ou só de um banho bem dado.

 

O animal também pode ter doenças pré-existentes que precisam de tratamento, então essa visita ao veterinário é extremamente importante. Quando o ronrom estiver muito machucado, sentindo dor, ele pode ficar assustado na hora do resgate, mesmo parecendo dócil. Então o conselho é sempre ir com calma, com a caixinha de transporte em mãos, levar uma toalha pode ajudar na captura também, para não ser arranhado. Se o gato se apresentar muito arisco, vale também o uso da gatoeira (como descrito no
caso dos gatos ariscos).

 

 

Gatos Amigáveis

 

Esse é o caso mais fácil, pois provavelmente você conseguirá capturá-lo sem muitos esforços. Mesmo assim leve sempre a caixinha de transporte e convide o gatinho a entrar com petiscos, ou coloque ele dentro se ele deixar pegá-lo. Não deixe de levá-lo ao veterinário para verificar suas condições de saúde, mesmo que ele pareça estar bem. 

 

Independentemente do caso, tenha cuidado ao lidar com o gato. Alguns animais podem ficar assustados com a sua tentativa de os controlar e poderão morder ou tentar escapar. Mantenha-o calmo, utilizando uma voz suave, oferecer alguns petiscos também ajuda. Priorize a caixa de transporte para levá-lo, mesmo que o ronrom seja dócil e se deixe pegar no colo, ele pode se assustar e tentar escapar no meio do caminho, então o mais seguro é deixá-lo na caixinha. 

 

Em primeiro lugar sempre tente achar o dono do animal, pois apesar de parecer ser “de rua”, ele pode estar perdido – por isso a importância das telas! (Leia Como garantir o bem-estar dos felinos em ambientes telados).

 

O ronrom pode estar com uma coleira de identificação, ou possuir um microchip, onde é possível encontrar os dados do dono levando em um lugar que possa ler o chip (petshop, veterinário). Espalhe cartazes, publique no Facebook, o dono pode estar procurando por ele! Caso não encontre o dono, aí sim encaminhe para adoção.

 

Lembre-se que é sempre importante:

 

– Levar ao veterinário: Somente um profissional pode atestar se o gatinho está saudável – mesmo ele parecendo bem. O veterinário poderá informar a situação do ronrom, o sexo, a provável idade, e dar o tratamento adequado caso esteja ferido. O ideal é solicitar um exame de sangue, e um teste de FiV/FelV (Aids e leucemia felinas), o resultado geralmente sai na hora. Esse teste é importante, principalmente, se você for colocar o gatinho junto de outros gatos. Essas doenças podem ser transmitidas entre eles, então o ideal é saber a situação do ronrom antes de colocá-lo junto a outros. No Adote um Ronrom todos os gatinhos passam por um processo de triagem, onde eles passam por exames para ver a situação de saúde, tratamento caso necessário, e teste de FiV/FelV, e só então que inserimos junto aos demais ronrons.

 

– Vermífugo, anti-pulgas, e vacinas: Solicite ao veterinário pelo menos a primeira dose do vermífugo, vacinas, e anti-pulgas. É importante para a saúde do gatinho.

 

– Castrar: Se você tiver condições castre o ronrom antes de doá-lo. É a única maneira de evitar que se reproduzam, e você estará zelando pela saúde dele. Caso não tenha como, certifique-se de que a pessoa que vai adotá-lo o faça, explique a importância da castração para o adotante.

 

– Encontrar um lar seguro e amoroso: Caso você não tenha como ficar com o/s gatinho/s, procure um lar responsável para ele/s. Vale anunciar na sua página pessoal, em páginas do Facebook próprias para esse fim (como a Ajude um Gatinho), colar cartazes, e se certificar de que o ronrom estará indo para um lar cheio de amor e seguro (lembre-se da importância das telas para a segurança deles). E, caso você resolva ficar com o ronrom e já tenha outro/s gatinho/s, leia Como introduzir um novo Ronrom na família.

 

Outras dicas importantes:

 

– Lar temporário: Caso não tenha como abrigar o gatinho em sua residência, procure alguém para ser lar temporário. Para isso não precisa de muito, pode ser um cômodo, até um banheiro, onde tenha espaço para o gatinho dormir, fazer suas necessidades, e comer, enquanto fica em observação e aguardando por um lar. 

 

– Hospedagem: Caso você tenha condições, existem lugares que hospedam gatinhos (uma espécia de hotel), onde você pode pagar por mês e combinar com a pessoa responsável que o gatinho ficará lá até conseguir adoção. 

 

– Vaquinhas: Caso você não tenha como custear o veterinário, ração, areia, peça ajuda dos seus amigos, familiares, vizinhos. Faça uma vaquinha online contando seu caso (como no site Vakinha.com). Muitos veterinários fazem preço social para casos especiais, parcelam, deixam pagar depois, e muitas cidades possuem atendimento gratuito inclusive. Não deixe de ajudar! 

Quando resgatamos um animal de rua estamos dando a ele uma oportunidade de uma vida digna, de conhecer um lar cheio de amor. Muitas vezes é difícil, não temos condições, não temos espaço, mas é difícil negar ajuda a esses seres que estão precisando de nós. Com boa vontade, ajuda, e dedicação, é possível mudar a vida desses ronrons.

 

E é por isso que nós, do Adote o Ronrom, continuamos nosso trabalho: para continuar vendo casos como o da foto acima (Lets, antes e depois, agora já vivendo com sua nova família), onde resgatamos um ronrom com medo, doente, arredio, e o vemos ficar saudável e encontrar um lar cheio de amor, como todos eles merecem. 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s