Diabetes em gatos, saiba mais sobre.

A Diabetes Mellitus costuma atingir, na maioria das vezes, gatos idosos ou com problemas de obesidade. São várias as causas que levam ao desenvolvimento desta doença.

O que se caracteriza nesta síndrome é a alta taxa de glicose no sangue (glicemia).

BREVE PAUSA para compreensão do funcionamento NORMAL do organismo e podermos seguir: após as refeições o organismo irá degradar e metabolizar toda substância ingerida para poder gerar energia ao corpo, umas das principais fontes de energia é a glicose.

O hormônio INSULINA irá permitir a entrada da glicose nas células, para que assim seja transformada em energia.Voltando… quando há uma falha na produção de insulina, as taxas de glicose irão aumentar, causando danos ao corpo.A diabetes pode ser classificada em dois tipos: diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2.

Na diabetes tipo 1, há uma falha no pâncreas, que é o responsável por produzir a insulina. Neste caso então não ocorrerá mais a produção da insulina, pois este terá parado de funcionar. Pode ter relação com fatores genéticos (herança genética), fatores ambientais ou uso prolongado de corticoides.

Já a diabetes tipo 2, que é a mais comum de acometer gatos, é ocasionada por falha do pâncreas também, mas este irá produzir uma quantidade muito baixa de insulina sendo incapaz de suprir a necessidade do organismo. Neste caso o que leva o animal a desenvolver a doença é a obesidade, devido sua alimentação descontrolada, e também por conta da idade (gatos idosos são mais predispostos a desenvolver também).

Como saber se meu gato está com diabetes?

Os sinais clínicos mais comuns serão: aumento de ingestão de água, aumento de apetite e freqüência de micção (urina). Haverá perda de peso, indisposição e possíveis dores generalizadas. Em casos crônicos pode levar à cegueira, catarata, problemas urinários, problemas neurológicos e até mesmo convulsões.

Diagnóstico

É feito a partir dos sinais clínicos relatados pelo tutor juntamente com exames de sangue e urina, no qual irá ser realizado dosagem de glicemia. Em alguns casos são feitos outros exames complementares.

Tratamento

Difere conforme o estado de saúde do gato. O médico veterinário irá recomendar conforme situação do paciente uma dosagem de insulina, que deverá ser aplicada frequentemente, e uma dieta rigorosa. De acordo com a progressão do tratamento as doses de insulina são ajustadas.

Prevenção

Algumas pessoas até acham fofinhos gatos gordos, como se fossem umas bolotas de pelo ambulantes, mas é muito importante controlar o peso do seu gato. Para manter seu gato dentro do peso padrão é importante fornecer uma dieta equilibrada, juntamente com acompanhamento do médico veterinário, e estimulá-lo a não ser sedentário.

Faça com que ele brinque e corra em algum momento do dia, isso fará bem a ele e a você também. Forneça uma alimentação equilibrada e de qualidade. Animais idosos devem ter uma atenção ainda mais cautelosa.As informações citadas não devem ser consideradas como diagnóstico. Não medique seu animal sem informação de um profissional veterinário.

Fonte: gatocachorro; purina; medicina felina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s