Primeiros socorros para gatos

Os gatos são muito curiosos e têm uma certa “mania” de se meter em enrascadas ao ir xeretar alguma coisa.

Mas às vezes essa curiosidade pode colocá-los em perigo. E, se você souber reconhecer os sinais e como proceder, poderá salvar a vida dele.

Saiba agora algumas situações de risco em que seu ronrom pode se pôr e como proceder:

 

Choques elétricos

Gatos adoram brincar com fios e, caso haja algum fio elétrico a que eles tenham acesso fácil, acabam mastigando por achar divertido, correndo o risco de levar uma forte descarga elétrica. Isto irá acarretar em queimaduras muito graves no local em que recebeu o choque e estas são difíceis de cicatrizar.

Ao choque elétrico estão associados também edema pulmonar e estado de choque.

Apenas o veterinário poderá determinar o quadro de seu animal e o tratamento. Leve-o imediatamente à uma clínica/hospital veterinário.

 

Ferimento com hemorragia

Se seu gato sofreu alguma queda, mordida, atropelamento ou qualquer outro acidente que causou uma hemorragia aparente, antes de qualquer coisa é necessário estancá-la.

Aproxime-se dele com calma e delicadeza, pois ele já estará assustado e, se você fizer qualquer movimento brusco, poderá fazer com que ele fuja. Utilize um pano caso para contê-lo, caso ele tente morder você.

Umedeça uma gaze ou pano limpo com água oxigenada ou soro fisiológico. Caso não tenha, utilize apenas um pano limpo e coloque em cima do ferimento, pressionando fortemente por alguns minutos para que o sangue coagule.

Caso o sangramento persista, faça uma bandagem compressiva e leve seu gato ao veterinário sem perder tempo.

ATENÇÃO: em caso de queda, atropelamento ou outro incidente do tipo, o animal poderá sofrer hemorragias internas, que são extremamente perigosas, e você não conseguirá enxergá-las. Por isso, diante de qualquer evento  que ameace a integridade física do animal, leve-o imediatamente ao médico. As hemorragias internas poderão ser detectadas com exames de raio-x, entre outros.

Ingestão de corpo estranho

Ossinhos, espinhas de peixe ou até mesmo agulhas podem se prender facilmente na laringe do gato.

Papeis metalizados em forma de bolinhas pode parecer um brinquedo legal para seu gato, mas ele pode acabar ingerindo e causando oclusões graves.

Se for estes os casos, ou parecido, leve ao veterinário, pois seu bichano pode ter obstruído alguma cavidade ou órgão e estar correndo perigo.

Insolação

Casos de insolação são mais frequentes em cães, pois os gatos suportam melhor as variações de temperatura.

 

Afogamento

Os gatos não são muito fã de água, porém em situação de risco eles saberão nadar muito bem.

Em casos que ele não consiga sair da água sozinho, acaba ficando cansado e se afogar. Caso isso aconteça, suspenda-o de cabeça para baixo, segurando pelas patas traseiras, para eliminar a água de seus pulmões.

Massagem cardíaca ou respiração artificial poderão ser necessários, assim como a intervenção veterinária.

Atente-se, seu ronrom é menor que um ser humano, portanto, massagem cardíaca deve ser feita com cuidado e com a ponta dos dedos.

É preciso comprimir e depois soltar as costelas ao nível da metade inferior do tórax, com ritmo de uma pressão por segundo. Um ajudante deve puxar a língua com cuidado para fora da cavidade bucal e para baixo, assim abrindo a laringe.

Picadas de insetos

Ocorrem com mais frequência na face e na garganta. Causando edema alérgico podendo levar a obstrução das vias respiratórias, caso o gato seja alérgico.

Ele deverá ser conduzido imediatamente ao centro clínico, onde o veterinário irá administrar um antialérgico e se necessário, passar uma sonda traqueal.

Às vezes um anti-histamínico aliviará o inchaço.

Quedas

Os gatos sofrem mais frequentemente com quedas do que os cães, principalmente aqueles que moram em apartamento não telados.

Aquela história de que eles caem sempre em pé e por isso não se machucam não é totalmente verdadeira. Geralmente ao cair de pé a fratura mais comum é a de maxilar, impossibilitando-o de abrir a boca. Também pode ocorrer deslocamento das pleuras, ocasionando pneumotórax ou dispneia.

Em caso de queda, imobilize seu ronrom e transporte-o em uma caixa até o veterinário, geralmente as fraturas são tratadas com  cirurgia.

Queimaduras

Na cozinha, os gatos correm maior risco de se queimar com água ou óleo quente. Até mesmo com velas, fogão aceso ou placas quentes. Em caso de queimadura leve, banhe o local da lesão com muita água fria.

Já em caso de queimadura mais extensa, um tratamento imediato deve ser feito com acompanhamento de um veterinário, neste caso, cubra o local da lesão com pano úmido para diminuir a dor para transportá-lo até uma clínica.


Sempre atente-se aos sinais que seu animal demonstrará e nunca hesite em levar ao veterinário.

Evite usar produtos tóxicos ou ter plantas tóxicas para gatos em casa, tele suas janelas, cuide com fios elétricos muito a mostra e não dê ossinhos aos seus animais.

Eles são muito curiosos e não tem muita noção do perigo, eles dependem de nossa ajuda para evitar que se machuquem.

Fonte: Larousse do gato e do gatinho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s