Gatos e as “voltinhas” de coleira

 

Muitas pessoas acreditam que gatos sofrem por viverem em apartamentos ou casas teladas. Isso não é verdade. Se o ambiente tiver tudo que ele precisa, ele vai se sentir seguro e confortável. Mesmo assim, há gatinhos que sempre tiveram vida livre e, depois de adotados, sentem falta de dar umas voltinhas por aí.

 

Nestes casos, as opções são adaptar a casa instalando prateleiras e até mesmo construindo um gatil no quintal ou, em último caso, acostumando o bichano a passear de coleira. Como em todo processo de adaptação e treinamento, é importante ter paciência. Então, não desista de fazê-lo de uma forma segura, pois há riscos em deixar o bichano sair de casa sem os cuidados necessários.

 

Florianópolis, por exemplo, tem vários focos de Fiv (aids felina) e Felv (leucemia felina). Gatinhos podem contrair essas doenças ao brigarem com outros animais ou (no caso da Felv) com uma simples lambida. Além disso, há outras doenças que eles podem pegar na rua. Manter a vacinação em dia é extremamente importante.

 

Outro ponto a ser considerado é que o ideal é não percorrer grandes distâncias com ele na coleira. Leve a um jardim ou outro local que não seja muito barulhento nem tenha outros animais, como cachorros.

 

Tipo de coleira

 

O primeiro passo para quem quer ensinar o gatinho a andar na coleira é escolher um modelo peitoral que fique bem ajustado (mas não apertado). Com esse tipo de acessório (como o da foto) é mais difícil que o gato fuja. Mesmo assim, só saia de casa com ele se tiver total certeza que o animal não vai conseguir se desvencilhar.

 

Treino

 

Em casa, coloque a coleira no seu gato deixando um pouco folgada e oferecendo petiscos pra ele. Faça carinho para que ele entenda que está tudo bem. Alguns gatos ficam paralisados estranhando estarem presos. Se isso acontecer, não force a situação, mas tente novamente no dia seguinte.

 

Quando ele estiver acostumado à coleira, tente caminhar pela casa com o gato. Deixe que ele escolha para onde ir e evite puxá-lo. Respeite os limites dele. Ele é quem vai dizer até onde quer ir. Você também pode deixá-lo ir de coleira até o corredor do prédio ou hall de entrada da casa, sempre cuidando para que ele não se assuste e tente fugir. Nestes casos, deixe a porta de casa aberta, caso ele fique inseguro e queira voltar dentro.

 

Outra dica importante é levá-lo para passear dentro da caixa de transporte por alguns dias. Faça com que ele se acostume com o barulho e com o ambiente externo. Sempre que sair com ele, mesmo depois de habituado à coleira, carregue sempre a caixa de transporte. Se acontecer algum imprevisto, coloque o gato na caixa para acalmá-lo e levá-lo pra casa.

 

Importante: Assim que ele estiver bem treinado, e antes de sair com seu gato por aí, coloque uma identificação na coleira com seu nome e número de telefone e implante um chip nele. Assim, caso aconteça algum 
imprevisto, haverá maneiras de encontrá-lo. Não coloque um guizo porque ele não merece ouvir o barulho insuportável 24 horas por dia.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s