Vai viajar? Dicas de hospedagem para seu ronrom

As pessoas se enganam quando dizem que gatos gostam da casa e não do dono. Além de serem muito apegados aos seus donos, gatos gostam de rotina, tranquilidade e comodidade, e preferem – sempre que possível – estar em casa a estar em caixas de transporte, bagageiros de aviões e lugares ainda inexplorados e sem seu feromônio demarcando um território seguro.

 

Na hora de viajar, muita gente não sabe o que fazer com seu ronrom. Levá-los junto em uma curta viagem pode causar um stress desnecessário. Pensando nisso, hoje existem opções para viajar tranquilo sabendo que o seu ronrom será bem cuidado.

Catsitter: Pensando na comodida e em não mexer na rotina do ronrom, o melhor mesmo é mantê-lo em casa, sem interromper a sua tão organizada rotina de comer, dormir, brincar, usar caixinha, demarcar território… sendo assim, quando se vai viajar por curtos períodos o ideal é, de fato, mantê-los em casa e contratar o serviço de uma babá de gatos (catsitter). Esse serviço consiste em visitar o gatinho por um período, seja de alguns minutos ou horas, verificando se tudo está ok, cuidando da comida, água, caixinha de areia, e dando uma atenção para o ronrom não se sentir sozinho. Geralmente quando o gatinho é filho único o ideal é que a visita seja feita todo dia; para os gatos mais ariscos uma visita ao dia é suficiente; para os mais carentes é ideal até duas visitas por dia. Tem aqueles que são mais ariscos e detestam pessoas estranhas, então esses gatinhos ficam super bem com visitas intercaladas, dia sim, dia não. Nada melhor para um gato do que ficar na comodidade de seu lar, com suas coisas e seus odores, sem passar pelo stress de um ambiente estranho.

 

Hotel: Se a viagem é mais longa (mais de 15 dias fora de casa), ou se o seu ronrom simplesmente não consegue ficar sozinho, o ideal é a hospedagem em hotel – mas isso depende da personalidade do seu ronrom. Para hospedar seu pet em um hotel – onde ele estará longe de você, e em um ambiente novo – precisa levar em consideração se ele é receptivo com pessoas e outros gatos. Por isso, bons hotéis fazem teste de compatibilidade, convidando o cliente a deixar seu gatinho uns dias hospedado para teste antes da viagem definitiva. Se der tudo certo, o ronrom fica; caso não funcione, e o seu gatinho não se acostume à hospedagem, o jeito é contratar o serviço de catsitter – por mais que o período seja longo – exigindo mais de uma visita por dia, ou ainda, pedindo como reforço, para algum familiar ou amigo também tentar ir passar um tempo com o ronrom, para que ele não fique tão sozinho.

 

Dê preferência por hotéis que prezem pela saúde em primeiro lugar- exigindo comprovação de vacinas, castração, anti-pulgas, teste de FiV/FeLV (doenças que são contagiosas entre os felinos, e sem cura). É importante também que o gatinho tenha espaço para se exercitar, tomar sol, arranhar. Hospedagens com confinamento em gaiolas são extremamente estressantes, e seu gatinho pode voltar com problemas comportamentais pelo estresse causado. Sempre vá conhecer de perto o local onde seu gatinho irá ficar, converse com os responsáveis, e tire todas as dúvidas possíveis. 

 

Por mais que compartilhem o espaço com outros gatos, a experiência de um hotel pode ser extremamente benéfica. As vezes, gatinhos ariscos começam a se socializar e se sentirem mais confiantes, melhorando a forma de interagir com o mundo. Junto ao espaço do Adote um Ronrom funciona o Hotel de Gato, que tem opções de hotel e também de catsitter, para você escolher o que se encaixa melhor no seu caso. Se você está pensando em dar um irmão para o seu gatinho, é o momento ideal de deixá-lo escolher o novo membro da família. No Hotel de Gato o seu gatinho irá conviver com os outros ronrons que aguardam adoção – é bem mais fácil socializar os gatos, quando eles não estão em seu território – e ficar
á mais a vontade para se identificar com algum dos outros ronrons, naturalmente. Em geral os gatinhos levam 10 dias para se sentirem 100% seguros em um novo ambiente, por isso recomendamos as hospedagens acima de 10/15 dias.

 

Gatos podem adoecer e até vir a falecer de depressão, pela falta de seu dono, de sua rotina e de seu espaço, por isso é fundamental escolher a dedo onde deixar o seu gatinho – por isso também a importância de nunca abandoná-los! Por mais mitos que existam a respeito de o gato não se apegar ao dono, eles se apegam sim, e muito, e sentem muito a falta da pessoa em quem eles mais confiam e estão acostumados. Por isso é tão importante tomar a decisão certa na hora de se ausentar, e viajar tranquilo sabendo que seu ronrom estará em boas mãos. 

 

Veja mais no facebook:

– Adote um Ronrom

– Hotel de Gato – Catsitter e Hospedagem

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s